16 de nov. de 2013

Coffe Party (Festa do Café)


Minha mãe queria ir para a festa do café. Não sei se existe festa do café e muito menos como é uma festa do café, mas minha mãe queria ir. Então nós fomos. Assim mesmo, sem motivo nenhum. 

Era uma viagem longa. Chegando lá, fomos para o hotel reservado pela minha mãe. Era um hotel simpático, em uma cidade simpática, com pessoas simpáticas. Já acomodados e cansados da viagem, nós fomos dormir. 

Quando acordei, já era outro dia. Resolvi dar uma volta na cidade e conhecer o lugar. Acontece que não tinha mais cidade. Tudo tinha sumido. Agora o "hotel" (era a minha casa) estava em um lugar no meio de uma floresta. Havia uma plantação em frente à casa, um morro ao lado e uma floresta ao redor. Mesmo tendo percebido que tudo estava completamente mudado, ignorei a situação e aceitei tranquilamente. (...)

Liguei para a minha namorada e marcamos de nos encontrar durante a festa do café. Ela me contou que o lugar onde eu estava era próximo à casa dela, mas ela não iria me buscar lá porque não sabia como chegar. Mais uma vez, aceitei a situação e continuei feliz. Eu estava adorando aquele lugar absurdamente sem sentido. 

O maior problema do "hotel" era que animais absurdamente grandes apareciam dentro de casa. Certa manhã acordei e havia uma lagarta passeando pelo jardim. "Ok.. O pessoal do hotel pode resolver isso" e eles resolveram mesmo. Uns rapazes arrastaram a lagarta para o outro lado. 

O pessoal do hotel, era outra coisa estranha, eles eram estranhamente parecidos com a família buscapé, sendo que eu nunca assisti família buscapé. Eles sumiam de uma hora para outra. 

Um dia eu acordei e fui andar pelo quintal, quando olhei para frente, havia uma onça me encarando. Corri. Corri como quem está correndo de uma onça. Entrei em casa e a onça começou a derrubar a porta. Mais uma vez o pessoal do hotel havia sumido. Me desesperei. Não havia ninguém em casa e uma onça estava derrubando a porta. Peguei meu celular e lembro de ter digitado a seguinte mensagem: "Amor, tem uma onça derrubando a porta. O que eu faço?" esperei uns 2 minutos. A onça havia derrubado uma boa parte da porta. "Odeio ter que dizer isso, mas bate nela" foi a resposta. Um graveto surgiu do céu, ao meu lado. Peguei o graveto e comecei a bater na onça (ela dizia AI). Vale ressaltar que a cada batida na onça eu mandava um upgrade da situação para a minha namorada. Em um desses upgrades ela respondeu "To com pena dela. Joga água pra ver se ela vai embora". Mas ela não foi e eu acordei. 
Após acordar e pensar nisso tudo, peguei meu celular e mandei uma mensagem: "Amor, você sabe como espantar uma onça?" 

Obs:: Não mencionei esse fato no texto porque achei totalmente desnecessário para o sentido do sonho (que por sinal não havia nenhum) mas vamos lá: Em uma manhã, eu resolvi sair dos limites do hotel e entrei no meio do mato. Até que ouvi uns gritos dizendo "PEGA O MONSTRO! ABERRAÇÃO!!! SAAAAAI" atrás de mim vinha um maluco com uma foice na mão e mais uns três com ciscadores. Vendo aquilo eu sai correndo. Quando olhei para o meu corpo, eu era um sasquatch. "

(Por: Anônimo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário