27 de nov. de 2013

A bicicleta perdida

Sonhei que era dia de eu ir pra aula de natação, ae eu arrumei a mochila e fui indo pra aula, mas eu esqueci da bicicleta, então voltei para pegar e fui. 

No caminho da natação, parei na estação do metrô. Entrei lá com a bicicleta e esperei o metrô. Quando ele chegou, entrei nele...
Chegando estação seguinte, fui andando até a natação, mas demorei tanto para chegar lá, que já tava quase na hora de ir embora. Nadei só uns 10 minutos, ae acabou a natação e fui
voltando pra casa. 


No caminho eu lembrei que tinha esquecido a bicicleta em algum lugar, então voltei lá para a primeira estação de metrô que eu tinha ido. Desci e vi um túnelzinho pra atravessar pro outro lado do trilho, mas o túnel tinha menos de 1.90 de altura e tive q me abaixar para passar. Chegando do outro lado, eu sentei no banco, do lado de 3 garotas que estavam lá. Demorou bastante para o metrô chegar. Quando já eram 18:30 e já estava escurecendo, o metrô chegou. Entrei, e desci na outra estação.

Chegando lá, eu subi, e vi que a minha mãe trabalhava lá num balcão, onde estava minha bicicleta. Eu vi uma porta com uma decida muito íngreme, e saí por ela. Fui indo, e voltei pra perguntar pra minha mãe se eu podia ir pelo outro lado, que é mais longe, para eu pedalar mais. Só que antes de ir lá perguntar, um garoto numa bicicleta queria me derrubar, mas tinha uma linha com cerol, lá no meio da rua, que enrolou na minha testa e na dele. Saiu sangue, e ele me liberou pra ir pra casa. 

Chegando em casa, tinha um banheiro diferente, um banheiro que dava para varias pessoas usar ao mesmo tempo, então eu entrei lá, e entrei num negocio de tomar banho que tinha um chuveiro, e uma cortina de plastico. Lá tinha um menino, um bebê musculoso com barba e o pai do meu primo. Ae o pai do meu primo forçou lá o negocio de água do chuveiro, e quando fui abrir, o negocio saiu, e começou a sair água por lá, então chamei minha tia (ela era tipo a diretora do banheiro) e mostrei pra ela o que tinha acontecido... Aí eu acordei . FIM"

(Por: Marcus Rerre)

Nenhum comentário:

Postar um comentário