12 de ago. de 2012

A busca por um banheiro

Em algum dia de julho de 2009 sonhei que... 

Eu e minhas amigas Bia Viana e Tairinny tínhamos ido fazer um trabalho. Estávamos numa rua de pedra e a Bia foi comprar um lanchinho pra nós. Eu fiquei com a Tairinny esperando o lanche, mas fiquei com vontade de fazer xixi, então ela disse: Vamos ali naquela igreja, deve ter banheiro. 

Eu respondi: Sim!! 
Fomos lá e perguntamos pra um padre: tem banheiro aqui? 
Ele falou: Não sei, procure... 
Fomos procurar, rondamos a igreja toda e não achamos o banheiro. Saímos da igreja e fomos numa casa velha. Lá morava uma velhinha.
A Tairinny perguntou: Ei velha, tem banheiro? (...) 
A velha respondeu: Sim, claro, é na 5ª porta direita do corredor. 
Mas o corredor era escuro e não tinha luz. Fomos indo contando com as mãos pela parede, e entramos na 5ª porta. Lá dentro tinha uma geladeira velha e gigante, abrimos a porta da geladeira e entramos, a Tairinny perguntou: Pra que entramos na geladeira? 
Eu respondi: Não sei, mas vamos seguir em frente, to com fome, talvez tenha queijo aqui!! 
Tairinny respondeu: Não, a Bia não foi lá comprar o lanche? 
Eu respondi: É verdade, então vamos sair daqui!!! 
Mas a porta era pesada e dura para se abrir por dentro... e ficamos esperando lá, a Tayrinny pegou um garfo e colocou na porta pra abrir a porta, e conseguiu. 
Eu disse: Acho que entramos na porta errada, na porta da esquerda.. 
Então fomos lá na porta da direita, era um banheiro grande, com um teto alto, uma pia e um vaso bem grande. Ela pegou a escada e pôs pra eu subir no vaso, e ficou lá embaixo segurando a escada pra eu não cair. Eu fiz xixi e ela olhando. Ela disse: Nossa Rerre, achei que o seu.. fosse maior... 
Eu desci e voltamos, e falamos com a velha: Por que é tao escuro aquele corredor? 
Ela disse: Pra que ser claro? Eu conheço minha casa e não preciso enxergar pra saber onde eu estou. 
Voltamos e a Bia estava lá na rua nos esperando com o lanche na mão, e perguntou onde estávamos. A Tairinny respondeu o que foi acontecendo... 
Fim. Aí eu acordei..."

(Por: Marcus Rerre)

Nenhum comentário:

Postar um comentário